Quem dera ser um Peixe

3 abr

ex blogue da anitcha: http://peixedeaquario.zip.net

Em 2009, lendo A Violência e o Sagrado, esbocei o plano de escrever uns ensaios relacionando as ideias de René Girard ao pensamento de Nietszche, Bataille e Lou Andreas Salomé.

Nas frestas do texto, sem alarde, Nietszche assobiou uns cantos dionisíacos, especialmente durante a análise da tragédia  As Bacantes, de Eurípedes. Bataille murmurou “continuidade” no sopro posterior à “perda violenta das diferenças”, e a ficção dos pressupostos biológicos, exposta a partir das ideias de Lévi-Strauss, evocaram tanto Bataille quanto Lou Andreas Salomé – a tal biologia como discurso da cultura e elemento de composição estética.

Freud e Lévi-Strauss não se desenharam nas frestas, como alucinações da memória ou anúncio. Ambos são berros, personagem nomeadas, capítulos à parte no livro de René.

Rabiscando ambições, deu-se o desejo de dividir leituras, bater papo e a intenção de montar o grupo. Girard, autor controverso, bastante controverso, oferece um passeio nos meandros do pensamento ocidental capaz de atiçar o mais apático entre os curiosos. Sugeri como entrada ao banquete. Ana Rüsche e Roberta Ferraz toparam a empreitada e decidimos abrir os trabalhos com o tema “Violência e Representações do Feminino”.

No sábado, dia 26 de março, nos reunimos na casa da Roberta e montamos o formato da coisa toda: filmes incríveis no meio da sequência de estudos e evento mensal para compartilhar resultados. Periodicamente, postaremos aqui uns textos, relatos e outras borbulhas.

PS. quarteto transformado em trio: Renata Huber, queridíssima, não poderá participar conosco das atividades. No próximo encontro,  05 de abril, seremos oficialmente triângulo amistoso, tríade de intenções, cantarolando “corais pra enfeitar tua cintura/borbulhas de amor pra te encantar”. Note: bailarinas de legging preta ao fundo.

OBS. O peixe da photo é o símbolo do ex blogue da Anitcha, Peixe de Aquário – Coisa de escrita dos astros. Maiara recolhe a estrelinha profética.

Anúncios

4 Respostas to “Quem dera ser um Peixe”

  1. ana rüsche abril 4, 2011 às 12:06 am #

    sabe o que acho melhor de tudo? serem três e o título ser mantido como quatro. é como sempre o quarto elemento ficasse na espreita. sou eu terra, vc fogo e a rô ar, me engano? a água somos todas nós. um beijo

Trackbacks/Pingbacks

  1. Quem dera ser um Peixe « Corpo Estranho - abril 3, 2011

    […] Rabiscando ambições, deu-se o desejo de dividir leituras, bater papo e a ideia de montar o GRUPO.  LER MAIS […]

  2. estamos numa boa pescando pessoas no mar « Corpo Estranho - abril 3, 2011

    […] Nas frestas do texto, sem alarde, Nietszche assobiou uns cantos dionisíacos LER TUDO […]

  3. saio à rua vestida em meu próprio sangue | maiara gouveia - dezembro 12, 2012

    […] as primeiras tramas das peixas medea se intromete em outros textos. várias vezes quis se enfiar nos fragmentos de salinas , […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: